Perguntas frequentes

Tudo o que precisa saber sobre o festival 

Qual é o horário de funcionamento?

A edição do Porto, na Alfândega do Porto,  tem os seguintes horários: dia 12, quinta-feira: das 17h às 24h | dia 13, sexta-feira: das 17h às 24h |  dia 14, sábado: das 12h às 24h | dia 15, domingo: das 12h às 19h.

A edição de Lisboa, no Cais do Sodré,  tem os seguintes horários: dia 27, sexta-feira: das 17h às 24h | dia 28, sábado: das 12h às 24h | dia 29, domingo: das 12h às 19h

A entrada no VVWF é gratuita?

Para entrar no maior festival de Vinho Verde é necessária a apresentação de bilhete de acesso. O bilhete tem o preço de 10 euros e contempla 1 copo oficial, 8 senhas para provas de vinho junto dos expositores de Vinho Verde, 1 acesso a uma prova comentada (limitada à lotação da sala), 1 acesso a workshop de cozinha ministrado por chefes convidados (limitado pela lotação da sala). Podem ser adquiridas, no recinto do festival, senhas adicionais de provas de vinho (cupão de 8 senhas), pelo preço de 5 euros.

O bilhete é diário?

Cada bilhete de acesso ao Vinho Verde Wine Fest é pessoal e intransmissível, possibilitando a entrada em um só dia do festival.  Terá de comprar tantos bilhetes quantos os dias que queira estar presente no VVWF.

Onde posso comprar bilhetes?

Os bilhetes para o VVWF só estão disponíveis no local onde o festival se realiza. Na entrada do recinto são disponibilizadas bilheteiras, devidamente sinalizadas, para a compra dos bilhetes de acesso. Um posto de informação está igualmente disponível para responder a todas as questões que deseje ver esclarecidas acerca do Vinho Verde Wine Fest.

Crianças podem entrar?

Além da exposição de Vinhos Verdes, o festival conta com restaurantes, apoiados por uma praça da restauração, por casas de petiscos, café e gelados. Águas e outras bebidas não alcoólicas também poderão ser adquiridas nos espaços de alimentação. Naturalmente, os acessos às provas de vinhos e às provas comentadas estão limitados a maiores de 18 anos, mas as crianças podem, se acompanhadas por adultos responsáveis, aceder ao espaço, usufruindo das demais valências do espaço. O programa poderá apresentar ações específicas para os mais novos, que estarão devidamente expressos no Programa do VVWF.

Posso levar comida para o VVWF?

O vinho está intimamente ligado à gastronomia. O festival, sendo de promoção do Vinho Verde, está alicerçado no conceito Wine Fest®, o que significa que a gastronomia está naturalmente presente. Assim, o Vinho Verde Wine Fest conta com o apoio de uma praça da restauração, com ofertas de refeições: no Porto, com 6 restaurantes e 4 casas de petiscos, café, doces e gelados; em Lisboa, com 3 restaurantes e serviço de café.  Está assim dispensada a necessidade de levar a sua própria comida, uma vez que a oferta disponível no festival é diversificada, satisfazendo todo o tipo de gosto.

Posso levar bebidas para o VVWF?

O VVWF é um festival de natureza enogastronómica. O Vinho Verde e outras bebidas vínicas dele derivadas, têm, evidentemente, exclusividade: estarão disponíveis para prova e consumo centenas de referências, das melhores do mercado! Outras bebidas, como café, chás, águas, sumos ou outras sem álcool estão igualmente disponíveis nos expositores da restauração.

Onde se situa o VVWF?

O Vinho Verde Wine Fest é realizado no parque exterior do lado nascente da Alfândega do Porto. A Alfândega do Porto situa-se na zona de Miragaia, a cerca de 100 metros da Ribeira do Porto. Estende-se ao longo de mais de 300 metros, é facilmente percetível para quem circule na marginal da cidade entre a Praça do Infante e a Foz, e está assinalado por bandeiras e pórticos de comunicação lembrando a ocasião do maior festival de vinhos da cidade! Tropece nele e viva o maravilhoso e refrescante  mundo dos Vinhos Verdes!

Como posso chegar ao VVWF?

Desejavelmente, acompanhado. Com amigos e familiares, para compartilhar momentos memoráveis, emocionantes, únicos de um festival como não há outro assim! Faça-o a pé, de carro ou de transporte público.

Para chegar à Alfândega do Porto desde o  Aeroporto Francisco Sá Carneiro, existem 2 opções:
1.ª opção:
Metro “Linha E” com destino “Estádio do Dragão”. Sair na “Trindade”.
Duração da viagem: 24 minutos
Título de transporte: Z4
Na “Trindade” fazer transbordo para a “Linha D” com destino “Santo Ovídio” e sair em “São Bento”.
Duração da viagem: 4 minutos
Título de transporte: utilizar o título da viagem anterior
Saindo da estação de metro encontrará a paragem de autocarro da STCP “500” com destino “Matosinhos (Mercado)”. Sair na paragem “Alfândega”.
Duração da viagem: 5 minutos
Título de transporte: utilizar o mesmo título da viagem anterior.
2.ª opção:
Táxi – 25 minutos aproximadamente

Chegando de comboio ao Porto poderá chegar à Alfândega do Porto partindo de duas estações de comboio:

Campanhã
1.ª opção:
Apanhar comboio/metro para “São Bento”.
Duração da viagem: 4 minutos
Título de transporte: Z2

Saindo da estação dirija-se à paragem do autocarro da STCP “500” com destino “Matosinhos (Mercado)”. Sair na paragem “Alfândega”.
Duração da viagem: 5 minutos
Título de transporte: utilizar o mesmo título da viagem anterior

2.ª opção:
Apanhar metro das “linhas A, B, C, E ou F” em “Campanhã” e sair na “Trindade”.
Duração da viagem: 6 minutos
Título de transporte: Z2

Fazer transbordo para a “Linha D” com destino “Santo Ovideo” e sair em “São Bento”
Duração da viagem: 4 minutos
Título de transporte: utilizar o mesmo título da viagem anterior

Saindo da estação de metro dirija-se à paragem do autocarro da STCP “500” com destino “Matosinhos (Mercado)”. Sair na paragem “Alfândega”.
Duração da viagem: 5 minutos
Título de transporte: utilizar o mesmo título da viagem anterior

3.ª opção:
Táxi: 12 minutos, aproximadamente.

S. Bento
Saindo da estação dirija-se à paragem do autocarro da STCP “500” com destino “Matosinhos (Mercado)”. Sair na paragem “Alfândega”.
Duração da viagem: 5 minutos
Título de transporte: Z

Para chegar de autocarro:

A Alfândega do Porto é servido nas suas imediações pelas seguintes linhas de autocarros:

500 – Praça da Liberdade – Matosinhos (Mercado)

ZR – Alfândega – Areias

ZM – Cordoaria – Bom Sucesso (Boavista)

Saiba mais em: www.stcp.pt

Vindo de Metro:

Para chegar à Alfândega, apanhando a linha A, B, C, E ou F, terá de sair na “Trindade” e fazer o transbordo para a linha D com destino “Santo Ovídio”Sair em “São Bento”.

Saindo da estação, apanhar autocarro da STCP “500” com destino “Matosinhos (Mercado)”Sair na paragem “Alfândega”.
Duração da viagem: 5 minutos
Título de transporte: Z2

Mais informações em www.metrodoporto.pt

Para chegar de carro:

Pela A1:
Siga pela A1 para a Via Panorâmica Edgar Cardoso em Porto.
Mantenha-se à direita na bifurcação para continuar na A1 e siga as direções para IC2/Porto-Arrábida/Gaia Centro/IC1/V.na Castelo. 
Siga pela saída em direção a Campo Alegre. (750 m)
Curvar ligeiramente à esquerda em direção a Via Panorâmica Edgar Cardoso (260 m)
Vire à direita em direção a R. da Rainha Dona Estefânia (280 m)
Vire à direita em direção a R. de Dom Pedro V (600 m)
Vire à esquerda em direção a Viaduto do Cais das Pedras (850 m)
Continue até R. Nova da Alfândega (220 m)

Pela A3:
Siga pela A3 para a Via Panorâmica Edgar Cardoso em Porto.
Siga sul em frente A3
Utilize as 2 faixas da direita para seguir pela saída 6 para convergir com A20/IC23 em direção a VCI/Porto/Boavista/Gaia/Arrábida (4,1 km)
Continue até A1/IC23 (2,1 km)
Siga pela saída em direção a Campo Alegre (1,4 km)
Curvar ligeiramente à esquerda em direção a Via Panorâmica Edgar Cardoso (260 m)
Vire à direita em direção a R. da Rainha Dona Estefânia (280 m)
Vire à direita em direção a R. de Dom Pedro V (600 m)
Vire à esquerda em direção a Viaduto do Cais das Pedras (850 m)
Continue até R. Nova da Alfândega (220 m)

Pela A4:
Siga pela A4 para a Via Panorâmica Edgar Cardoso em Porto.
Siga sudoeste em frente A4.
Utilize as 2 faixas da direita para convergir com A3 em direção a Porto/A1/Lisboa(3km)
Utilize as 2 faixas da direita para seguir pela saída 6 para convergir com A20/IC23 em direção a VCI/Porto/Boavista/Gaia/Arrábida (4,1 km)
Continue até A1/IC23 (2,1 km)
Siga pela saída em direção a Campo Alegre (1,4 km)
Curvar ligeiramente à esquerda em direção a Via Panorâmica Edgar Cardoso (260 m)
Vire à direita em direção a R. da Rainha Dona Estefânia (280 m)
Vire à direita em direção a R. de Dom Pedro V (600 m)
Vire à esquerda em direção a Viaduto do Cais das Pedras (850 m)
Continue até R. Nova da Alfândega (220 m)

Pela A28:
Siga pela A28 para a Via Panorâmica Edgar Cardoso em Porto.
Siga as indicações para continuar na A28
Utilize as 2 faixas da direita para convergir com A1/IC23 em direção a Gaia/Lisboa(2 Km)
Siga pela saída em direção a Campo Alegre (1,4km)
Curvar ligeiramente à esquerda em direção a Via Panorâmica Edgar Cardoso (260m)
Vire à direita em direção a R. da Rainha Dona Estefânia (280 m)
Vire à direita em direção a R. de Dom Pedro V (600m)
Vire à esquerda em direção a Viaduto do Cais das Pedras (850 m)
Continue até R. Nova da Alfândega (220 m)

 

 

O Vinho Verde em 10 tópicos 

Vinhos Verdes: o que são?

Os Vinhos Verdes são vinhos com Denominação de Origem Protegida, únicos no mundo! Aromáticos e medianamente alcoólicos, destacam-se pela frescura, leveza e equilíbrio.

A Região dos Vinhos Verdes

Estende-se por todo o noroeste de Portugal, ocupando uma área total de cerca de 21 000 hectares de vinha. Solos graníticos, clima ameno, elevada precipitação, situação geográfica costeira e temperada conferem naturalmente ao vinho a frescura, a leveza e o grau alcoólico que caracterizam toda a oferta da Região.

As 9 sub-regiões

Diferentes solos, climas e modos de  cultura produzem vinhos distintos entre si, justificando a divisão da Região dos Vinhos Verdes em nove sub-regiões: Amarante, Ave, Baião, Basto, Cávado, Lima, Monção e Melgaço, Paiva e Sousa.

As 9 sub-regiões da Região Demarcada dos Vinhos Verdes

A origem da expressão Vinho Verde

O Vinho Verde não tem cor verde nem é produzido com uvas verdes! A origem da marca remete para as características da região de produção, coberta de vegetação verde, e para o próprio perfil do vinho, que, pela sua frescura e leveza,  se diz verde em alusão à sua juventude.

A história do Vinho Verde

Foram os “Vinhos Verdes” os primeiros vinhos portugueses conhecidos nos mercados europeus (Inglaterra, Flandres e Alemanha), principalmente os da região de Monção e da ribeira de Lima. A Carta de Lei de 18 de setembro e o Decreto de 1 de outubro do mesmo ano demarcam pela primeira vez a Região dos Vinhos Verdes.

 

As castas de Vinho Verde

As principais castas brancas são: Alvarinho, Arinto, , Avesso, Azal, Loureiro e Trajadura. As tintas: Borraçal, Espadeiro, Padeiro e Vinhão. O Vinho Verde rosado provém sobretudo  das castas Espadeiro e Padeiro.

A produção de Vinho Verde

19 000 viticultores e 600 engarrafadores produzem aproximadamente 80 milhões de litros de Vinho Verde por ano.

Os mercados de Vinho Verde

O Vinho Verde é o segundo vinho mais consumido em Portugal, liderando as vendas nos meses de verão. Das vendas, 45% destinam-se a mais de 100 mercados de exportação. É o vinho português de denominação de origem controlada, não licoroso, mais exportado Estados Unidos da América, Alemanha , França, Canadá, Angola, Reino Unido, Brasil e Suíça contam-se entre os primeiros mercados. A exportação, que tem vindo a aumentar desde 2000, representou 60 milhões de euros em 2016.

Vinho Verde e a gastronomia

Os Vinhos Verdes são particularmente populares como aperitivo, mas são também a escolha perfeita para refeições informais, leves, saudáveis e pouco calóricas. Experimente-o com pratos de peixe, marisco, carnes brancas, saladas, sushi e sashimi, pastas italianas, queijos, …

A Rota dos Vinhos Verdes

Quintas, adegas, restaurantes e hotéis uniram-se para oferecer múltiplas atividades e itinerários, proporcionando únicas e memoráveis na Rota dos Vinhos Verdes.  Ao longo de 49 concelhos do noroeste de Portugal é possível desfrutar de praias e montanhas, vales e rios, e de uma paisagem única, onde o verde, que dá nome ao vinho, é a cor dominante.